Frequência

Flag Counter

segunda-feira, 23 de maio de 2016

O maior dos hiatos de qualidade: a humildade do Messias



É flagrante o desalinhamento entre as expectativas dos contemporâneos de Jesus e a sua reivindicação de ser reconhecido como o Messias de Israel. Ainda hoje, o escândalo da cruz em que Cristo foi apresentado como cordeiro em sacrifício vicário no lugar de Barrabás (tipificando a humanidade), evidencia-se na perplexidade ante o paradoxo do Messias crucificado.
Para saber mais: http://darwinedeus.blogfolha.uol.com.br/2014/04/23/desculpai-mas-jesus-existiu-epilogo/
 “O que é Hiato:
Hiato tem origem no termo Latim “hiatus”, cujo significado é “abertura, fenda, lacuna”, abrangendo diferentes conceitos e aplicações.
No sentido figurado, um hiato representa uma falha, uma lacuna. Pode ainda ser definido como uma interrupção entre dois acontecimentos...”.
 “...vejam os hiatos da qualidade:
                                 I.            Hiato das expectativas: quando ocorre um desalinhamento entre a expectativa do cliente e as percepções da gerência de qual seja a expectativa do cliente a respeito do serviço.
                               II.            Hiato das especificações: quando ocorre um desalinhamento entre as percepções da gerência de qual seja a expectativa do cliente a respeito do serviço e a tradução dessas percepções em especificações do serviço.
                              III.            Hiato da entrega: ocorre quando há um desalinhamento entre as especificações do serviço e o serviço prestado.
                             IV.            Hiato da comunicação: desalinhamento entre a prestação do serviço e a comunicação com o cliente a respeito do serviço.
                               V.            Hiato da qualidade percebida do serviço: ocorre quando há um desalinhamento entre a expectativa do cliente e a sua percepção quanto ao serviço prestado...” (G.N.)
“INRI é o acrónimo de Iesvs Natsarenus Rex Ivdaeorvm, do latim, "Jesus de Nazaré, Rei dos Judeus". Segundo os evangelhos, foi o título que Pilatos ordenou que fosse fixado na cruz onde Jesus Cristo foi morto. Segundo o Evangelho de São João, Pilatos teria feito redigir o texto em latim, grego (Ἰησοῦς ὁ Ναζωραῖος ὁ Bασιλεὺς τῶν Ἰουδαίων) e hebraico (ישוע הנצרת מלך היהודים).”.
“Era a hora terceira quando o crucificaram. A inscrição que motivava a sua condenação dizia: O rei dos judeus. Crucificaram com ele dois bandidos: um à sua direita e outro à esquerda. {Cumpriu-se assim a passagem da Escritura que diz: Ele foi contado entre os malfeitores {Is 53,12}.}
Os que iam passando injuriavam-no e abanavam a cabeça, dizendo: Olá! Tu que destróis o templo e o reedificas em três dias, salva-te a ti mesmo! Desce da cruz!
Desta maneira, escarneciam dele também os sumos sacerdotes e os escribas, dizendo uns para os outros: Salvou a outros e a si mesmo não pode salvar! Que o Cristo, rei de Israel, desça agora da cruz, para que vejamos e creiamos! Também os que haviam sido crucificados com ele o insultavam.
Desde a hora sexta até a hora nona, houve trevas por toda a terra. E à hora nona Jesus bradou em alta voz: Elói, Elói, lammá sabactáni?, que quer dizer: Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?” (Marcos 15:25-34)
“Depois de lhes lavar os pés e tomar as suas vestes, sentou-se novamente à mesa e perguntou-lhes: Sabeis o que vos fiz?
Vós me chamais Mestre e Senhor, e dizeis bem, porque eu o sou. Logo, se eu, vosso Senhor e Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar-vos os pés uns aos outros.
Dei-vos o exemplo para que, como eu vos fiz, assim façais também vós. Em verdade, em verdade vos digo: o servo não é maior do que o seu Senhor, nem o enviado é maior do que aquele que o enviou. Se compreenderdes estas coisas, sereis felizes, sob condição de as praticardes.” (João 13:12-17)
Estes textos são apenas alguns dos muitos relatos bíblicos em que Jesus Cristo é percebido de forma diversa daquela esperada pelos seus conterrâneos. Consequentemente, decorrem daí todos os demais desalinhamentos entre a expectativa e a realidade em todas as dimensões da percepção humana lá e então, como aqui e agora.
A única solução para tal impasse está posta no imperativo do próprio Cristo: “Não temas. Crê somente.” “Sem fé é impossível agradar a Deus.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário