Frequência

Flag Counter

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Jó e a cosmovisão bíblica

Além das possibilidades científicas explicitadas no blog http://novavidaemamor.com/, há que se considerar também que a dialética de Jó com seus amigos e com Deus nos apresenta diversas cosmovisões, ou seja, visões de mundo, tais como:
1 - o platonismo, cujos planos físico e metafísico claramente se distinguem (CAPS. 1 e 2), porém refuta o dualismo, já que limita a ação satânica ao poder permissivo do único Deus soberano, perante o qual os demais poderes se apresentam regularmente para prestação de contas;
2 - o hedonismo dos filhos e da mulher de Jó, manifesto em seus estilos de vida inconsequentes;
3 - o maniqueísmo satânico na manipulação dos elementos e na sofismática associação de causa e efeito para explicar a presença do sofrimento no mundo como consequência do pecado, necessariamente, o que é incessantemente refutado pelo exemplo do próprio Jó, homem reto, íntegro, temente a Deus, que se desvia do mal e ainda intercede em favor dos filhos, bem como na parábola do cego de nascença proferida por Jesus nos Evangelhos;
4 - o teísmo clássico dos amigos de Jó, os quais remetem Deus à irrelevância por sua indiferença distante diante da miséria humana, abandonando suas criaturas à própria sorte, transitando desde o naturalismo, pelo panteísmo, o ceticismo ateísta (mulher de Jó), o existencialismo niilista, etc.
Contudo, a afirmação de Jó de que antes conhecia Deus de ouvir falar, mas após sua provação e aprovação passou a conhecê-lo face a face remete o sofrimento a uma categoria utilitarista e pedagógica e coloca satanás em seu lugar de mero agente sob a soberania permissiva de Deus, cujo propósito benigno prevalece sempre. Todas as coisas cooperam para o bem dos que amam a Deus (Romanos 8).
Ademais, após interceder em favor de seus amigos, cuja retórica fora condenada por Deus, Jó se acha liberto de suas tribulações e é plena e abundantemente restaurado por Deus, pois padeceu injustamente e sem pecar, tipificando assim o Senhor Jesus Cristo, a quem claramente anuncia ao afirmar - "Sei que o meu redentor vive e que por fim se levantará sobre a terra."

Nenhum comentário:

Postar um comentário