Frequência

Flag Counter

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Glorie-se no Senhor!

A necessidade de autoafirmação leva-nos, por vezes, a nos impormos presunçosos diante dos outros, caindo na armadilha da autoexaltação, do louvor próprio. Este comportamento é evidência de imaturidade, de carnalidade e de falência espiritual. O homem espiritual não se define a partir do que os outros vão pensar a seu respeito, mas sim a partir do caráter que Deus está formando nele. Ainda que não tenha de si próprio ou dos demais um conceito que reforce sua autoestima, o homem e a mulher realmente espirituais assumem a postura de Paulo: "Mas o que para mim era ganho reputei-o perda por Cristo. E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas e as considero como esterco, para que possa ganhar a Cristo e seja achado nele, não tendo a minha justiça que vem da lei, mas a que vem pela fé em Cristo, a saber, a justiça que vem de Deus, pela fé; para conhecê-lo, e a virtude da sua ressurreição, e a comunicação de suas aflições, sendo feito conforme a sua morte; para ver se, de alguma maneira, eu possa chegar à ressurreição dos mortos. ¶ Não que já a tenha alcançado ou que seja perfeito; mas prossigo para alcançar aquilo para o que fui também preso por Cristo Jesus. Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam e avançando para as que estão diante de mim, prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus." (‭Filipenses‬ ‭3‬:‭7-14‬ ARC)

Nenhum comentário:

Postar um comentário