Frequência

Flag Counter

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Carta para a igreja Laodicéia (Ap. 3:14)

"14 “Ao anjo da igeja de Laodicéia escreva o seguite: Esta é a mensagem do Amém, da Testemunha fiel e verdadeira, daquele por meio de quem Deus criou todas as coisas:” Como podemos ver na última mensagem de Jesus para as principais congregações na Ásia Menor, Jesus está sendo descrito em termos de algo verossímil (Amém), mas também leal (fiel) e confiável (testemunha verdadeira). A última referência a Jesus Cristo sendo o princípio da criação de Deus é necessária para se referir ao conceito Judeu de Logos que está presente de forma dominante em João 1. Vamos resumir brevemente os principais pontos que são importantes para nossa discussão aqui. Tem sido pensado erroneamente que as ideias expressadas no prólogo de João são exclusivas do Cristianismo. Acreditava-se erroneamente que esta declaração (João 1:1) constituia nada menos do que um desvio inovador do Judaísmo. No entanto, nada poderia estar mais longe da verdade. Na verdade, não é até o versículo 14 “e o Verbo se fez carne,” que uma idéia inovadora, embora não contraditória ao Judaísmo, foi introduzida pela primeira vez. A idéia de Verbo/Logos/Memra de Deus sendo o instrumento de Deus na criação do mundo não era nova para o Judaísmo do Segundo Templo. Por exemplo, Filo, um Judeu de Alexandria, que era aproximadamente contemporâneo de Jesus, mas provavelmente nunca o conheceu, escreveu: “…a mais universal de todas as coisas é Deus; e em segundo lugar o Verbo de Deus”. (Allegorical Interpretation, II, 86); “…a sombra de Deus está o Seu Verbo, que Ele usou como um instrumento, quando Ele estava criando o mundo…” (Allegorical Interpretation, III, 96); “Este mesmo Verbo está continuamente suplicando ao Deus imortal em nome do povo mortal, que está exposto a aflição e a miséria; e é também o embaixador, enviado pelo governante de todos, ao povo subordinado… não tendo sido criado como Deus, nem ainda criado como você, mas estando no meio destas duas extremidades…” (“Quem é o Herdeiro das Coisas Divinas,” 205-6). Estes são apenas alguns exemplos dessa idéia. Jesus, como ele se dirige a seus seguidores em Laodicéia, está identificando a si mesmo como o instrumento de Deus na criação do mundo. Existem também algumas coisas importantes que devemos saber sobre a cidade de Laodicéia. É altamente provável que Jesus e o autor humano do Livro do Apocalipse estavam bem cientes delas. Fonte: Estudos Judaicos para Cristãos

Nenhum comentário:

Postar um comentário