Frequência

Flag Counter

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Os perigos do Neo-evangelicalismo

"Estou convencido que o Neo-Evangelicalismo é um dos maiores perigos com que as igrejas fundamentalistas em geral e o movimento baptista independente em particular se defrontam, e para lhe resistir com sucesso é preciso identificá-lo." "O QUE DIZ A BÍBLIA SOBRE O AMOR CRISTÃO: Os ecumênicos estão confusos sobre a DEFINIÇÃO DE AMOR (Jo. 14:23; Fp. 1:9-10; I Jo. 5:3). O amor bíblico está associado com a obediência a Deus (Jo. 14:23; I Jo. 5:3). O amor Bíblico é obediência a Deus e à Sua Palavra, não às emoções vãs, não à uma mente abrangente, não à tolerância bíblica do erro. O amor bíblico está associado com a repreensão do pecado e do erro. Jesus, que é o Amor Incarnado, aparece “olhado para eles em redor com indignação condoendo-se da dureza do seu coração” (Mc. 3:5) e repreendeu os fariseus asperamente e mesmo ferozmente (Mt. 23). Jesus chamou a Pedro de Satanás (Mt. 16:23) e censurou os discípulos pela sua “incredulidade e dureza de coração” (Mc. 16:14). O apóstolo Paulo chamou aos falsos mestres “cães” e “maus obreiros” (Fp. 3:2). Daqueles que pervertiam o evangelho ele disse, “seja anátema” (Gl. 1:8,9). Ele chamou aos falsos mestres “homens maus e enganadores” (II Tim. 3:13), “homens corruptos de entendimento e réprobos quanto à fé” (II Tim. 3:8), “falsos apóstolos, obreiros fraudulentos” (II Co. 11:13). Ele disse o nome de falsos mestres e chamou aos seus ensinamentos “falatórios profanos” (II Tim. 2:16,17). Ele avisou acerca de “filosofias e vãs subtilezas” (Col. 2:8). Ele descreveu claramente os “que com astúcia enganam fraudulosamente”. Quando Elimas tentou desviar homens da fé que Paulo havia pregado, Paulo não desperdiçou tempo com diálogo. Ele disse “Ó filho do diabo, cheio de todo o engano e de toda a malícia, inimigo de toda a justiça, não cessarás de perturbar os retos caminhos do Senhor?” (Actos 13:10). Nada disto é contrário ao amor cristão. Os ecumênicos estão também confundidos acerca da DIRECÇÃO DO AMOR. A primeira direcção do amor deve ser em direcção a Deus (Mt. 22:35-39). Preciso de amar a Deus o suficiente para tomar uma posição acerca da Sua Palavra, para amar e temer a Deus mais do que eu amo e temo ao homem. A segunda direcção do amor deve ser para com aqueles que estão em perigo espiritual (“apascenta as minhas ovelhas” Jo. 21:16-17). Preciso amar ovelhas do Senhor mais do que amo os lobos. O QUE DIZ A BÍBLIA SOBRE A UNIDADE CRISTÃ?: JOÃO 17:21 – O movimento ecumênico moderno pegou em João 17:11 como um dos seus versículos temáticos, reclamando que a unidade pela qual Cristo orou é uma unidade ecumênica entre todos que se professam cristãos e que não olha ou valoriza a doutrina bíblica. O contexto de João 17 destrói este mito. Em João 17, Jesus está a referir-se àqueles que são salvos (Jo. 17:3). João 17 não é uma unidade de verdadeiros crentes regenerados com aqueles que são falsos crentes [, crentes meramente] nominais. Em João 17, Jesus refere-se àqueles que guardam a Sua Palavra; é uma união na verdade (Jo. 17:6, 17). Não é uma unidade que ignora as diferenças doutrinárias em favor de uma comunhão alargada. Não é uma ecumênica “unidade na diversidade”. Em lugar nenhum do Novo Testamento está ensinado que a doutrina deve ser sacrificada, ou até desvalorizada, em favor da unidade. Em João 17, Jesus refere-se àqueles que não são do mundo (Jo. 17:14, 16). Por contraste, o movimento ecumênico não se separa do mundo. Billy Graham é louvado pelo mundo e frequentemente votado o homem favorito dos EUA. Em 1989, Graham recebeu mesmo uma estrela no "Passeio da Fama", de Hollywood! A sua estrela está junto daquelas que honram Wayne Newton e John Travolta. O movimento ecumênico de hoje caracteriza-se por um cristianismo do tipo Rock & Roll que não acredita numa verdadeira separação do mundo, e o mundo responde com prêmios em vez de perseguições. Em João 17, Jesus refere-se a uma unidade do Espírito, não a uma unidade feita pelo homem (Jo. 17:1). João 17 é uma oração dirigida a Deus o Pai, não um mandamento dirigido aos homens. FILIPENSES 1:27 – Este é um outro versículo que é mal utilizado como uma plataforma para o movimento ecumênico, mas repare nas seguintes observações a partir do contexto: A unidade bíblica dá-se na igreja local. Esta instrução era dirigida à igreja em Filipos. A verdadeira unidade cristã não é um assunto extra-igreja ou interdenominacional. A unidade bíblica significa ter uma única mente, não “unidade na diversidade.” Compare Rom. 15:5-6; I Co. 1:10. A unidade bíblica requer dedicação total à fé que se professa. A fé do Novo Testamento não é um grupo de doutrinas separadas, mas é, sim, um corpo de verdade unificado no qual todas as doutrinas se encaixam. Não existem doutrinas “secundárias” que possamos ignorar em favor da unidade bíblica. A escolha é entre “uma comunhão limitada ou uma mensagem limitada.” Se alguém é fiel à fé do Novo Testamento, é impossível ter uma comunhão alargada, e se alguém é dedicado a uma comunhão alargada tem de limitar a sua mensagem para algo menos do que todo o conselho de Deus." Para saber mais: http://solascriptura-tt.org/SeparacaoEclesiastFundament/ComoIdentificarNeoEvangelicalismo-DCloud.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário