Frequência

Flag Counter

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Barzilai: o velho consciente de suas próprias limitações

" Bendito Barzilai (2ª Samuel 19:31-39) Também Barzilai, o gileadita, desceu de Rogelim e passou com o rei o Jordão, para o acompanhar até ao outro lado. Era Barzilai mui velho, da idade de oitenta anos; ele sustentara o rei quando este estava em Maanaim, porque era homem mui rico. Disse o rei a Barzilai: Vem tu comigo, e te sustentarei em Jerusalém. Respondeu Barzilai ao rei: Quantos serão ainda os dias dos anos da minha vida? Não vale a pena subir com o rei a Jerusalém. Oitenta anos tenho hoje; poderia eu discernir entre o bom e o mau? Poderia o teu servo ter gosto no que come e no que bebe? Poderia eu mais ouvir a voz dos cantores e cantoras? E por que há de ser o teu servo ainda pesado ao rei, meu senhor? Com o rei irá o teu servo ainda um pouco além do Jordão; por que há de me retribuir o rei com tal recompensa? Deixa voltar o teu servo, e morrerei na minha cidade e serei sepultado junto de meu pai e de minha mãe; mas eis aí o teu servo Quimã; passe ele com o rei, meu senhor, e faze-lhe o que bem te parecer. Respondeu o rei: Quimã passará comigo, e eu lhe farei como for do teu agrado e tudo quanto desejares de mim eu te farei. Havendo, pois, todo o povo passado o Jordão e passado também o rei, este beijou a Barzilai e o abençoou; e ele voltou para sua casa. Barzilai é um dos meus personagens favoritos nesta história. Ele é um senhor de idade, de 80 anos, para ser mais preciso. Ele é também muito rico. Ele deve ter vivido perto de Maanaim, pois foi lá que supriu as necessidades de Davi e de seus companheiros no exílio. Agora que Davi está voltando a Jerusalém, Barzilai faz um grande esforço para estender sua amizade e hospitalidade durante a sua volta. São cerca de 30 a 40 km (aproximadamente, pois não sabemos exatamente onde ficava Maanaim) até o Jordão, onde Davi cruzará o rio, e outro tanto até Jerusalém. Esse senhor idoso acompanha Davi até o rio, e depois até Gilgal (não muito longe de onde teria sido a antiga Jericó), e aí se despede. Davi deseja demonstrar sua gratidão a esse velho companheiro, e o convida a ir com ele para Jerusalém, onde promete sustentá-lo com fartura. Barzilai graciosamente recusa a oferta de Davi. Ele admite estar velho demais para apreciar a diferença entre um filet mignon e um mingau, ou entre a voz de soprano de um dos músicos de Davi e sua própria cantoria no chuveiro. As iguarias de Davi seriam desperdiçadas com ele e, além disso, não lhe resta muito tempo de vida. Ele prefere ficar em sua própria casa, perto de onde seus parentes estão sepultados, e onde ele, em breve, também estará.2 Barzilai não deseja se beneficiar pessoalmente da generosidade de Davi, mas propõe uma alternativa. Ele recomenda um jovem, Quimã, ao rei, pedindo-lhe para conceder suas bênçãos ao rapaz como se fosse para ele. De acordo com 1 Reis 2:7, sabemos que Davi pretende manter sua promessa a Barzilai não só enquanto estiver vivo, mas também depois da sua própria morte. Ele dá instruções a Salomão para continuar sendo benevolente para com os filhos de Barzilai (note o plural). Com isso, presumo que Quimã seja filho de Barzilai e que, nessa época ou mais tarde, um ou mais de seus irmãos se juntou a ele. Davi generosamente cuida desses homens como o próprio Barzilai cuidou dele." Fonte: https://bible.org/node/22284

terça-feira, 28 de outubro de 2014

A Bondade de Deus

"As Escrituras muitas vezes enfatizam a bondade de Deus que nos cerca completamente, Salmo 33.5: "A terra está cheia da bondade do SENHOR". Salmo 52.1: "A bondade de Deus permanece continuamente". Nem é toda essa bondade apresentada como algo que é frustrantemente fora de nosso alcance, ou proibida para o nosso gozo, pois Deus "nos dá todas as coisas para delas gozarmos". (1 Timóteo 6.17) É uma paródia diabólica fazer de Deus um grande estraga-prazeres cósmico que está fazendo tudo em Seu poder para tornar o homem tão infeliz quanto possível. Sim, às vezes pregadores ignorantes mediante sua pregação legalista dão a mesma impressão. Nada poderia ser mais longe da verdade. Não há nada verdadeiramente bom que o mundo goze que Deus não tenha permitido a Seu povo também gozar, contanto que eles o façam dentro dos limites de segurança que Ele colocou ao redor deles. Deus só proíbe aquilo que é espiritualmente mortal, que só um imbecil completo poderia desejar." Para saber mais:http://www.palavraprudente.com.br/estudos/dw_huckabee/hermeneutica/cap01.html

A Lei da Praticabilidade

"Quais são os efeitos práticos de nossa interpretação" Pois se nosso método de interpretação é só especulativo, e não resulta numa vida cristã prática, é evidente que algo está errado em nosso sistema de interpretação. Um dos grandes erros do sistema farisaico de interpretação da Bíblia era que não tinha bons efeitos práticos. A acusação de Jesus contra os escribas e fariseus era que: "Na cadeira de Moisés estão assentados os escribas e fariseus. Todas as coisas, pois, que vos disserem que observeis, observai-as e fazei-as; mas não procedais em conformidade com as suas obras, porque dizem e não fazem; Pois atam fardos pesados e difíceis de suportar, e os põem aos ombros dos homens; eles, porém, nem com o dedo querem movê-los". (Mateus 23:2-4) Em outras palavras, esses hipócritas religiosos não tinham um sistema prático de interpretação, ou eles não o aplicavam a si pessoalmente, pois suas convicções não influenciavam sua conduta. Deve haver correspondência entre convicção e conduta, para que nossa confissão cristã não seja apenas hipocrisia oca." Para saber mais:http://www.palavraprudente.com.br/estudos/dw_huckabee/hermeneutica/cap14.html

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

The Bible and the Hallowe'en origins

"...If anything, an alternative in opposition to Halloween should be offered by Christians. Psalm 24:1 points out that everything belongs to the Lord. Therefore, there is no reason to let Satan have Halloween. It is not his day in the first place! When Satan tried to tempt Jesus, he offered Jesus something that was not his to offer (Matthew 4:8—all the kingdoms of the world). Jesus obviously didn’t succumb because it wasn’t Satan’s to give, nor did Satan exercise any authority over Him. Many today believe that Halloween is Satan’s day and recommend staying away from it. But recognizing such a thing would be to disregard that Satan owns nothing and that all days belong to God. Christians can take this day and make better use of it, such as by celebrating Reformation Day, a harvest festival of praise for a God who provides, an extra day of the Lord’s Supper to remember Christ’s sacrifice to end animal sacrifices, and so on (Colossians 2:16–17) So where do you go from here? Please encourage your pastors and elders to have some sort of church function to counter modern practices of Halloween. Of course, one of the only nice things that Halloween really has to offer could also be involved—sweet treats (in moderation of course)! If a Christian alternative is not possible in your location, then take advantage of this opportunity to share with people the message of the gospel and how Jesus Christ has conquered death and the forgiveness that can only be found in God when you greet “trick or treaters.” Calvary Death is a terrible reality for all of us—not something to celebrate or treat as fun. Death is the punishment for sin. Since all of us are sinners (Romans 3:23), we must realize that death is coming. But God is a God of grace and mercy, and in His love He has offered a means of salvation through His only begotten Son, Jesus Christ, who suffered and died the ultimate death in our place. All who repent and believe can receive forgiveness of sins and eternal life. “For the wages of sin is death, but the gift of God is eternal life in Christ Jesus our Lord” (Romans 6:23). (...) Para saber mais:https://answersingenesis.org/holidays/halloween-history-and-the-bible/?utm_medium=cpc&utm_source=adwords&utm_campaign=halloween2014&gclid=CO2rjLLMu8ECFUMV7Aod1jQAwQ

domingo, 12 de outubro de 2014

A vertiginosa queda do rei Saul

Eis os principais motivos da rejeição de Saul como Rei perante o Senhor Deus de Israel: a desobediência e a mentira. O curioso é que o procedimento que Saul adotou era legal, nos termos propostos em Números 7. O seu erro consistiu na sua motivação equivocada: pretender negociar com Deus, transferindo a responsabilidade dos atos aos subalternos. Atenção Líderes: responsabilidades são indelegáveis e os requisitos de validade dos atos administrativos são: competência, motivação, finalidade, forma e objeto (http://www.egov.ufsc.br/portal/conteudo/requisitos-de-validade-dos-atos-administrativos). Ainda hoje é muito comum o "fisiologismo", tanto na política quanto na religião. Porém Deus abomina esse comportamento, como deixou bem claro nesse episódio em que rejeitou Saul. As exterioridades vazias de legítima correspondência com uma íntima motivação que as autentique são sempre abomináveis, por serem típicas dos hipócritas. Jesus confrontou os hipócritas com veemência tal, que os comparou a sepulcros caiados, os quais aparentam pureza, mas estão cheios de rapina. Enfim, o principal cuidado a se ter é ser verdadeiro sempre, para se evitar a rejeição do Senhor. Tivessem Ananias e Safira assumido publicamente o que tramaram secretamente, talvez não teriam sofrido a pena capital, mas tão somente as conseqüências de sua limitação comunitária. Um banimento temporário estaria de bom tamanho, até que estivessem mais dispostos a compartilhar. Pedro mesmo os advertiu mais por terem pretendido mentir do que pelo seu ato egoísta em si. Na sequência de sua insanidade (Nesse contexto, cabe bem a citação de Eurípedes: “Quem vult deus perdere dementat prius” — “Deus primeiro enlouquece aquele a quem quer destruir”.), Saul usurpa a função de Samuel só para aparentar-se ainda detentor de alguma autoridade e, impaciente, oferece um sacrifício inútil, pois já sabia que seria rejeitado. Daí em diante, sua queda se precipita ao ponto de invocar espíritos de mortos, pela ilusão mediúnica de uma feiticeira (ironia do destino, já que essa classe havia sido sentenciada à morte pelo próprio Saul). A lição a ser aprendida é que, uma vez perdida a autoridade espiritual, a derrocada é certa e fatal, pois um "abismo chama outro abismo" cada vez mais profundo. Portanto, independente do contexto em que se exerça autoridade, se sacro ou secular, se ético ou moral, há que se corrigir o erro na origem ou admiti-lo, se insanável, para resgatar a integridade enquanto ainda houver alguma esperança de ser ouvido, pois a mentira pela negação, pela racionalização ou qualquer outro artifício, conduz à irremediável rejeição e consequente insanidade, a qual precede e anuncia a ruína iminente.

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

'omnia mecum porto'

Dicionário de Latim Letra O omnia mecum porto Significado de omnia mecum porto Trago comigo todas as coisas. Resposta do filósofo Bias, da Grécia, àqueles que, fugindo ao exército persa, se admiravam de ver o sábio sair sem nada levar. Para Bias só valiam as riquezas do espírito.

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Bons ou Maus?

"E ele disse-lhe: Por que me chamas bom? Não há bom senão um só, que é Deus." (Mateus 19:17) Minha leitura da realidade, a partir das experiências colhidas ao longo de meus 58 anos de vida, é que a natureza humana foi corrompida e, independentemente do contexto, se manifesta tendente à transgressão. Mesmo o mais íntegro dos indivíduos, se colocado em posição de poder em que haja oportunidade e impunidade, fatalmente cairá em tentação. Portanto, precisamos de uma estrutura de controle cada vez mais onipresente que intimide ou, pelo menos, desestimule a manifestação da "banda podre" que todos carregamos em nosso DNA. O diferencial das nações chamadas desenvolvidas é exatamente esse. Pude constatar isso quando estive em Las Vegas no início deste ano de 2014. Até nos coletivos, as câmaras de vigilância estavam instaladas por toda a parte e o condutor monitorava o ambiente enquanto trafegava, além do controle central que integrava todas as unidades. No hotel Excalibur, em que me hospedei, e no ambiente da conferência (Mandalay Bay), a que atendi, havia cassinos e os guardas, todos de porte intimidatório, estavam por toda parte e eram bem caracterizados como tais, com todo o aparato necessário a uma pronta intervenção, se necessário. O "slogan" em letras garrafais na entrada do prédio era "Act like you own the place!", o que traduz bem o espírito e a cultura do lugar. Chamou-me muito a atenção, no entanto, o fato de que toda essa estrutura se destina exclusivamente a inibir, prevenir e reprimir os transgressores, pois se você agir corretamente não será molestado nem incomodado por nada disso, terá livre trânsito e será muito bem acolhido. Ou seja, o medo da violência e do terrorismo não impediu o exercício da hospitalidade, da urbanidade e da civilidade nos relacionamentos dos americanos com os estrangeiros. A lição aprendida, portanto, foi que, por nossa natureza ser perniciosa e pouco confiável, os instrumentos de vigilância e controle coibem de fato as práticas delituosas. Porém o mais importante é que os "bons" sejam reconhecidos, estimulados e valorizados como tais. Infelizmente, a tônica em nosso país é a lógica inversa, que idolatra os transgressores como celebridades, os embusteiros como ícones midiáticos, e os vulgares como heróis, enquanto os "bons" são ridicularizados e explorados como otários. Para saber mais: http://virusdaarte.net/o-homem-nasce-mau-ou-e-fruto-do-meio-onde-vive/

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

...oração sem caridade...

"Perguntaram a Mahatma Gandhi quais são os fatores que destroem o ser humano, ele respondeu assim: "A Política sem Princípios, o Prazer sem Responsabilidade, a Riqueza sem Trabalho, a Sabedoria sem Caráter, os Negócios sem Moral, a Ciência sem Humanidade e a Oração sem Caridade. A vida é como um espelho: Se sorrio, o espelho me devolve o sorriso. A atitude que tomo na vida, é a mesma que a vida tomará ante mim." "Quem quiser ser amado, que ame".

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Diferenças das traduções da Bíblia

"...Romanos 8:1 "Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito.” — (Almeida Corrigida Fiel) "Portanto, agora já não há condenação para os que estão em Cristo Jesus." — (Nova Versão Internacional) "Portanto, não existe mais condenação para aqueles que estão em Cristo Jesus." — (Bíblia de Jerusalém)..." (...) "Os seguintes versículos estão inclusos na Almeida Corrigida Fiel, assim como no Textus Receptus, porém são omitidos na maioria das traduções modernas:4 Mateus 17:21 Mateus 18:11 Mateus 23:14 Marcos 7:16 Marcos 9:44 e 46 Marcos 11:26 Marcos 15:28 Lucas 17:36 Atos 15:34 Atos 28:2 Para saber mais: http://pt.wikipedia.org/wiki/Almeida_Corrigida_Fiel Traduções dignas de confiança: http://www.biblias.com.br/traducoes.asp

Quem foi João Ferreira de Almeida?

"...Filho de pais católicos, Almeida nasceu na localidade de Torre de Tavares, concelho de Mangualde, em Portugal. Ficou órfão ainda em criança e veio a ser criado na cidade de Lisboa por um tio que era membro de uma ordem religiosa. Pouco se sabe sobre a infância e início da adolescência de Almeida, mas afirma-se que teria recebido uma excelente educação visando a sua entrada no sacerdócio. Não se sabe o que teria levado Almeida a sair de Portugal mas talvez isso se devesse à forte influência exercida pela Inquisição em Portugal. Viajou para a Holanda e, aos 14 anos, embarcou para a Ásia, passando pela Batávia (actual Jacarta), na ilha de Java, Indonésia. Naquela época, Batávia era o centro administrativo da Companhia Holandesa das Índias Orientais, no sudeste da Ásia..." Para saber mais: http://pt.wikipedia.org/wiki/Jo%C3%A3o_Ferreira_de_Almeida

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

AMOR INCONDICIONAL

O amor divino mantém-se íntegro mesmo diante da rejeição, porém o amor humano é cheio de restrições e, com muita facilidade, sucumbe diante das menores adversidades. Nossas limitações, frequentemente, nos impedem de amar como Cristo nos amou. Vejamos o exemplo descrito em uma das famosas parábolas de Jesus, a do jovem rico: “Quando Jesus ia saindo, um homem correu em sua direção e se pôs de joelhos diante dele e lhe perguntou: "Bom mestre, que farei para herdar a vida eterna?" Respondeu-lhe Jesus: "Por que você me chama bom? Ninguém é bom, a não ser um, que é Deus. Você conhece os mandamentos: 'Não matarás, não adulterarás, não furtarás, não darás falso testemunho, não enganarás ninguém, honra teu pai e tua mãe'". E ele declarou: "Mestre, a tudo isso tenho obedecido desde a minha adolescência". Jesus olhou para ele e o amou. "Falta uma coisa para você", disse ele. "Vá, venda tudo o que você possui e dê o dinheiro aos pobres, e você terá um tesouro no céu. Depois, venha e siga-me." Diante disso ele ficou abatido e afastou-se triste, porque tinha muitas riquezas.” (Marcos 10:17-22) Em se tratando de amar, por mais que nos esforcemos, sempre há de nos faltar alguma coisa. À semelhança daquele jovem, pode ser algo a que nos apegamos que nos limita, ou alguma deficiência que nos restringe e nos impede de amar perfeitamente ao Senhor. É verdade que sempre há exceções a essa regra, pois há também outro registro nos Evangelhos: o caso da mulher pecadora cujo gesto de amor ficou na história, ao lavar os pés do Senhor com suas lágrimas e os enxugar com seus cabelos. Diante de todo o preconceito então sofrido e do mau juízo de Simão, bem como de muitos de seus convidados, Jesus a reconheceu publicamente como sendo dotada de muito amor e seu gesto ficou registrado na História. Aqueles a quem mais se perdoou, esses são os que mais amam. Em outra ocasião, aquela mesma Maria recebeu nova ação afirmativa da parte de Jesus por permanecer aos pés do Senhor e, assim, ter escolhido a melhor parte, enquanto sua irmã Marta, uma ativista, se ocupava com muitas coisas, quando uma só era necessária. Há muito ativismo religioso vazio de amor autêntico, especialmente no seio de muitas das “igrejas cristãs” , cuja retórica fala de amor só da boca pra fora, pois suas práticas o negam radicalmente. “E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará.” Mateus 24:12 Felizmente, o Senhor nos ama incondicionalmente, a despeito de tantas dessas nossas dificuldades de toda ordem. “...E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado. Porque Cristo, estando nós ainda fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios. Porque apenas alguém morrerá por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém ouse morrer. Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores..” (Romanos 5:5-8) Esta é a esperança que não confunde e que devemos ter como âncora de nossas almas no revolto mar de nossas existências nesse mundo. “Por isso, querendo Deus mostrar mais abundantemente a imutabilidade do seu conselho aos herdeiros da promessa, se interpôs com juramento; Para que por duas coisas imutáveis, nas quais é impossível que Deus minta, tenhamos a firme consolação, nós, os que pomos o nosso refúgio em reter a esperança proposta; A qual temos como âncora da alma, segura e firme, e que penetra até ao interior do véu, Onde Jesus, nosso precursor, entrou por nós, feito eternamente sumo sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque.” (Hebreus 6:17-20) Ainda que pequemos, ainda que falhemos, mesmo que nos frustremos conosco mesmos ou com os outros, MAIOR É DEUS! “Conhecemos o amor nisto: que ele deu a sua vida por nós, e nós devemos dar a vida pelos irmãos. Quem, pois, tiver bens do mundo, e, vendo o seu irmão necessitado, lhe cerrar as suas entranhas, como estará nele o amor de Deus? Meus filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas por obra e em verdade. E nisto conhecemos que somos da verdade, e diante dele asseguraremos nossos corações; Sabendo que, se o nosso coração nos condena, maior é Deus do que o nosso coração, e conhece todas as coisas. Amados, se o nosso coração não nos condena, temos confiança para com Deus; E qualquer coisa que lhe pedirmos, dele a receberemos, porque guardamos os seus mandamentos, e fazemos o que é agradável à sua vista. E o seu mandamento é este: que creiamos no nome de seu Filho Jesus Cristo, e nos amemos uns aos outros, segundo o seu mandamento. E aquele que guarda os seus mandamentos nele está, e ele nele. E nisto conhecemos que ele está em nós, pelo Espírito que nos tem dado.” (1 João 3:16-24) Roguemos, pois, continuamente, a Deus que nos habilite à prática desse amor em nosso cotidiano. FIEL É O QUE PROMETEU E ELE O FARÁ! Essa afirmação bíblica nos remete a outras que a confirmam: “Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade.” (Filipenses 2:13) “Não erreis, meus amados irmãos. Toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação.” (Tiago 1:16-17)

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Os Juízes e os Reis...

Para saber mais: http://www.vivos.com.br/249.htm

Os servos...

"Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus, que, embora sendo Deus,não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se; mas esvaziou-se a si mesmo,vindo a ser servo,tornando-se semelhante aos homens." (Filipenses 2:5-7) Para saber mais: http://www.bibliaon.com/servo/

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Jesus e a Lei

"Ora, nós sabemos que tudo o que a lei diz, aos que estão debaixo da lei o diz, para que toda a boca esteja fechada e todo o mundo seja condenável diante de Deus" (Rm 3:19). ”Não penseis que eu vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, vim para cumprir”. (Mateus 5:17) Para saber mais: http://www.estudosdabiblia.net/bd13_07.htm

Esquizofrenia Gospel

"...E assim caminha a cristandade... Igrejas cheias de crentes que se recusam a conhecer e prosseguir em conhecer ao Senhor (Os 6:3), que desconhecem e descumprem as Escrituras, que se julgam perseguidos e rodeados de inimigos Uma epidemia de esquizofrenia digna de algumas considerações à luz da Escritura: 1. Nosso inimigo não é a carne e nem o sangue (Ef 6:12). Neste aspecto, reside a certeza de que os que nos rodeiam não são nossos inimigos, e mesmo os que assim se declaram não são os nossos verdadeiros inimigos. O diabo é o inimigo, e é a este inimigo em particular a quem devemos combater, e não aos inimigos de carne e sangue. Erramos, pois, primordialmente por não sabermos reconhecer quem é nosso verdadeiro inimigo, e cometemos tal erro primário porque nos recusamos a dar ouvidos às Escrituras!..." Para saber mais: http://www.pulpitocristao.com/2013/01/esquizofrenia-gospel.html#.VADY4ShZ1GM

terça-feira, 19 de agosto de 2014

UNÇÃO: BENÇÃO OU MALDIÇÃO?

Há tantos buscando reconhecimento, seja no contexto político e institucional, seja no contexto espiritual. Especialmente nestes tempos de campanhas eleitorais ou clericais, clamam por unção para exercerem algum notório ministério, alguma influência catalizadora, algum poder e autoridade sobre as massas ignaras.

As Escrituras Sagradas cristãs nos apresentam um desses tantos "candidatos", ambiciosos e ousados, um tipo de "mago" que já detinha influência em sua comunidade: Simão. Esta personagem se viu estupefata diante da perspectiva que lhe poderia agregar a singularidade do Poder de Deus. No entanto, sua motivação egoísta nada tinha a ver com o propósito divino, razão pela qual Simão se viu amaldiçoado pelo Apóstolo Pedro.

"O teu dinheiro seja contigo para perdição, pois cuidaste que o dom de Deus se alcança por dinheiro. Tu não tens parte nem sorte nesta palavra, porque o teu coração não é reto diante de Deus." (Atos 8:18-24)

Certamente os leitores já conseguem divisar alguma correlação, algum paralelo do relato bíblico com os tempos atuais.

Jesus, profeticamente, advertira os seus discípulos acerca dos sinais e maravilhas que seriam manifestados em época marcada pela dor intensa e crescente, por catástrofes generalizadas: terremotos, guerras e rumores de guerras, pestes, fome, perseguição e...falsos profetas.

A despeito do encanto típico dos sinais miraculosos, em que a humanidade e até a própria natureza gemem com dores de parto, bem como das maravilhas operadas pelo próprio Cristo, poderoso em palavras e obras realizadas durante a sua peregrinação terrena, o Senhor rechaçou a publicidade de campanha, abominou o culto das personalidades e o foco em sinais e maravilhas, por se tratarem de idolatria (reificação do divino); pecado este tão grave quanto a feitiçaria.

"Sabendo disso, Jesus retirou-se daquele lugar. Muitos o seguiram, e ele curou a todos os doentes que havia entre eles, advertindo-os que não dissessem quem ele era." (Mateus 12:15-16)

Portanto, nos deteremos aqui no contexto messiânico específico dos falsos profetas, pois são tantos os artifícios e há tanta confusão, tanta promessa vã de campanha, que é preciso pedir discernimento e sabedoria ao Senhor para não sermos enganados ou tidos como idiotas.

"Porque se levantarão falsos cristos, e falsos profetas, e farão sinais e prodígios, para enganarem, se for possível, até os escolhidos." (Marcos 13:22)

Ao apresentarem "fogo estranho" perante o Senhor, trazem sobre si o vaticínio da morte certa, a pena capital, pois há um custo bem mais oneroso que o secular associado à unção espiritual.

"Nem saireis da porta da tenda da congregação, para que não morrais; porque está sobre vós o azeite da unção do Senhor." (Levítico 10:7)

Nossa sociedade está acostumada à impunidade, potencializando o risco real de nos vermos a braços com oferendas e sacrifícios de tolos já condenados, reincidentes "fichas sujas". Porém, em se tratando de realidades espirituais, é melhor temer ao Senhor, pois a sentença é certa.

"...porque chegar-se para ouvir é melhor do que oferecer sacrifícios de tolos, ..." (Eclesiastes 5:1)

Enfim, que fique bem claro que a finalidade última das bênçãos espirituais de Deus é o seu eterno propósito de fazer convergir todas as coisas em Cristo, cujo nome está posto sobre tudo e sobre todos. A ordem presente estará preservada por meio da santa palavra proclamada pela igreja do Senhor até que esta seja resgatada e o mundo ímpio se consuma pelo fogo do juízo final.


 

"Ele nos manifestou o misterioso desígnio de sua vontade, que em sua benevolência formara desde sempre, para realizá-lo na plenitude dos tempos - desígnio de reunir em Cristo todas as coisas, as que estão nos céus e as que estão na terra." (Efésios 1:9,10).

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Liderando Com o Coração - Mantenha a Integridade

“Ele disse: “Vamos encontrar-nos na casa de Deus, no templo, a portas fechadas, pois estão querendo matá-lo; eles virão esta noite”... Percebi que Deus não o tinha enviado... Ele tinha sido pago para me intimidar, a fim de que eu cometesse um pecado agindo daquela maneira, e então eles poderiam difamar-me e desacreditar-me.” (Neemias 6:10b,12a,13) Acredito que a arma mais mortal de Satanás para neutralizar a eficácia de um líder é fazê-lo comprometer a sua integridade. Esta estratégia diabólica tem efeito devastador e no entanto pode passar despercebida pela maioria das pessoas envolvidas, só mostrando seus efeitos quando já é tarde para recuperar tanto o líder como o projeto. Neemias estava ciente das intenções de seus inimigos e dos adversários do seu projeto. A reconstrução dos muros era apenas a primeira fase de um projeto mais amplo e os interesses de várias pessoas estavam sendo afetados. A tentativa de cessar a construção, desanimar e dispersar os trabalhadores pela intimidação não tinha dado resultado. Agora era hora de aplicar a próxima tática: provocar uma situação em que Neemias se tornasse culpado e eles pudessem manipulá-lo. Era hora de quebrar a sua integridade. Se Neemias tivesse se intimidado e dado ouvidos ao falso profeta teria cometido pecado e seus inimigos poderiam então manipulá-lo, ou exigindo que ele parasse a obra e fosse embora ou, como se faz muito nos dias atuais, deixando-o continuar mas com a condição de que ele fizesse as coisas de acordo com os interesses de seus adversários. Um líder cuja integridade foi comprometida deveria imediatamente confessar o seu erro e pedir ajuda para que tanto a sua vida seja restaurada como para que a obra continue pela liderança de outros enquanto for necessário. A sua confiança no amor e cuidado de Deus deveria ser suficiente para ele saber que se o projeto é de Deus, Deus continuará a conduzi-lo da maneira que for preciso. Muitos líderes caem na armadilha de achar que é melhor para o projeto continuar mesmo comprometido pela influência dos seus inimigos. Eles não dizem isso com essas palavras, eles alegarão que o projeto atende uma necessidade muito importante e por isso é melhor continuar do que parar. Eles acham que conseguirão gerenciar os diversos interesses e fazer o projeto chegar ao seu objetivo. Um líder cuja integridade foi comprometida já não é mais servo de Deus e de sua missão, ele é escravo do seu erro e gastará muita energia para ocultar esse erro. Mesmo que ele mantenha o entusiasmo exterior em relação ao propósito original, a eficácia espiritual se esvai pois, agora, não tem mais presença de Deus para apoiar-lhe (Isaías 59:2). Neemias, apesar de todo o estresse que o projeto estava colocando sobre ele, manteve a vigilância e andou no temor do Senhor. Isso fez com que ele não caísse na armadilha, mantendo sua integridade e não dando oportunidade aos inimigos de exercerem sobre ele influência indevida. “Senhor, mantém meus olhos abertos e meu coração ligado a ti para que eu te tema e não me submeta aos caprichos de outros. Que apenas Tu sejas meu Senhor.” Vinicios Torres Deixe o seu comentário no site: http://www.ichtus.com.br/dev/2014/07/11/liderando-com-o-coracao-mantenha-a-integridade/ ICHTUS Logotipo O que é ICHTUS? ICHTUS, vem do grego "ixtus", que significa peixe. Era o símbolo dos cristãos primitivos perseguidos pelo poder romano. As letras eram as iniciais das palavras Iesous Christos Theou Yios Soter (Jesus Cristo, Filho de Deus, o Salvador). ICHTUS está na internet desde 01 de junho de 1998. (c) 1998 - 2011 Respeite os direitos autorais, ao reproduzir mencione a fonte http://www.ICHTUS.com.br.

domingo, 6 de julho de 2014

Intercessores Empáticos

Chamados nada ortodoxos, Missões nada convencionais são desafios para poucos. No entanto, procuram-se desesperadamente homens e mulheres que se ponham na "brecha" por outros ao ponto de se identificarem com suas circunstâncias e de assumirem sobre si o preço a ser pago por suas transgressões. Haja empatia. São como Cristo, o servo sofredor de Isaías 53:4. A função dos intercessores é inestimável e tem implícito um sofrimento indescritível para os que a exercem. Por isso é que há tão poucos que se disponham realmente ao exercício desse ministério, desse precioso serviço cristão. Qual é a razão de ser assim tão doloroso esse dom? "Pois aqueles que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos.". (Romanos‬ ‭8‬:‭29‬ NVI) http:/textos complementares: Gênesis 38:24; Juízes 16:17; 1a. Samuel 16:16; Salmos 119:139; Isaías 53:4; Ezequiel 22:30; Oséias 1:2; Lucas 1:34 e 22:42; Tiago 2:25.

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Perolas do Eclesiastes

Esboço de mensagem proferida por mim quando de recente visita a Primeira Igreja Batista em Congonhas do Campo – MG.

 

  1. Origem e significado: Hebraico Kohelet = Pregador Grego; Ekklesiastes
  2. Fontes: www.iremar.com.br/nomes/index.php? http://www.adoraiaosenhor.com.br/biblia-on-line-livro-de-eclesiastes-a-busca-de-satisfacao-e-felicidade-do-homem-natural/
  3. Autoria do livro bíblico: Salomão - Rei de Israel, filho de Davi com Bate-seba...1a. Reis 11 versículos 3 a 9 e vs. 41 a 43.
  4. Tema: A vaidade, futilidade da vida humana em contraste com o proposito divino

 

Observação importante para uma correta interpretação, sem indução ao erro do negativismo e consequente depressão: considerar o fim trágico do autor, conforme relatado nas referências do subitem 3 acima, pois revela o estágio provável da vida do maior sábio bíblico depois de Jesus.


 

Capitulo Primeiro:

1 – A natureza cíclica das coisas:

  • Trabalho – vs.3, gerações – vs.4, o sol – vs.5, o vento – vs.6, os ribeiros correndo para o mar - vs.7, a insaciedade dos sentidos – vs.8 e o ciclo histórico – vs.10 e 11.
  • Ciência e sabedoria = vaidade e aflição de espirito – vs.13 e 14 – ocupação enfadonha dada por Deus aos homens para exercita-los
  • Transitoriedade e pouca efetividade do trabalho físico e intelectual – vs.15 a 18

Capitulo Segundo:

2 – A vaidade dos prazeres e das realizações humanas:

  • Prazer e alegria – vs.1, "boa vida" - vs.3, obras = casas e vinhas, hortas, pomares e jardins – vs.4 e 5, tanques de aguas para regar bosques – vs.6, poder e bens = servos e servas, vacas e ovelhas, prata e ouro, joias, cantores e cantoras, delicias, instrumentos musicais – vs.7 a 10.
  • Tudo e vão, cíclico, rotineiro e repetitivo – vs. 11 a 12.
  • Porem há mais sabedoria e excelência na sabedoria como na luz, em contraposição a ignorância como nas trevas – vs.13.
  • O fim de tudo isso e sempre o mesmo – vs.14 a 17, o fruto do trabalho, se não for aproveitado a tempo, passara a quem não trabalhou e não há como saber se será sábio ou tolo – vs.26 a 31.

Capitulo Terceiro:

3 – há tempo para todo proposito:

  • várias situações são descritas, em que o tempo determina comportamentos e atitudes. O sábio deve discernir o tempo e o modo oportunos.

Capitulo Quarto:

4 – Opressão = males e tribulações:

  • A força está do lado do opressor e os fracos não tem consolador – vs.1, melhor nem ter nascido – vs.3.
  • Antagonismos = Inveja – vs.4 versus Trabalho – vs.5 e 6, Solidão – vs.8 versus Companheirismo – vs.9 a 12, jovem Pobre e Sábio versus rei Velho e Insensato – vs.13 a 16.

Capitulo Quinto:

5 – Como comportar-se na Casa de Deus:

  • Ouvir = não oferecer sacrifícios de tolos – vs.1, fale pouco – vs.2, muitas palavras = tolice – vs.3, temor a Deus = silencio.
  • Pagar votos, cumprir promessas.
  • Deus e quem julgara a injustiça e a opressão – vs.8, consequências = insaciedade, vaidade – vs.10 a 12, enfermidades – vs.13.

Capitulo Sexto:

6 -


 


 

Conclusões:


 

  • Nada e por acaso: Eclesiastes 12: "O fim de tudo o que se tem dito e Teme ao Senhor e guarda os seus mandamentos"


 

  • A Bíblia inteira e a palavra de Deus, não contem partes ou porções apenas... 2a.Timoteo 3:16-17 "Toda escritura divinamente inspirada e útil..."


 

  • Servir a Deus e gratificante e proveitosos... 1a. Coríntios 15:58 "...o vosso trabalho não e vão no Senhor..."


 

  • A verdadeira fonte de alegria... Filipenses 2:12-16 "...            


 


 

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Paracleto Negro: Simão Cireneu

26 Enquanto o levavam, agarraram Simão de Cirene, que estava chegando do campo, e lhe colocaram a cruz às costas, fazendo-o carregá-la atrás de Jesus. (Lucas 23:26 NVI)http://bible.com/129/luk.23.26.nvi Paracleto ou companheiro de jugo é a designação dada ao Espírito Santo por sua função de consolador, ajudador. Essa mesma função foi forçosamente atribuída a Simão durante o trajeto de Jesus pela "via crucis", a via dolorosa. A histórica sina de dor dos afrodescentes pelo mundo é freqüentemente vista como uma punição, como uma sentença que pesa sobre os prováveis descendentes de Cã, o filho escandaloso de Noe, ou de Caim, o primeiro dos assassinos. No entanto, essa passagem bíblica traz uma nova luz à questão da dor partilhada por Simão com o Senhor. Que privilégio teve esse discípulo? Aos apóstolos, tal destino fora negado naquele momento, embora Pedro tivesse pretendido assumi-lo, porém não teve forças e o negou três vezes. A Simão, o africano, porém, foi atribuída à força tal participação na obra redentora de Jesus. Ao carregar aquela cruz, ainda que por um pouco só, Simão representou todos os negros sofredores de todas as épocas, identificando-os com Jesus em sua dolorosa "via crucis". Há tantos que, ainda hoje, se martirizam, se autoflagelam em busca de purificação, de uma maior consagração; e o fazem voluntariamente. No entanto, poucos alcançam a bem aventuranca dada forçosamente ao negro Simão, posto que originário de Cirene, no norte da África, bem como, por tabela, a tantos outros negros sofredores involuntários como ele. "Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus; Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem, e, mentindo, disserem todo o mal contra vós, por minha causa. Exultai e alegrai- vos, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós." (Mateus 5:10-12 ARC)

domingo, 22 de junho de 2014

Requisitos da Oracao Eficaz

 
 

A QUEM ORAR

Hebreus 1:1

Há muito tempo Deus falou muitas vezes e de várias maneiras aos nossos antepassados por meio dos profetas,


 

Hebreus 1:2

mas nestes últimos dias falou-nos por meio do Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas e por meio de quem fez o universo.


 

Hebreus 1:3

O Filho é o resplendor da glória de Deus e a expressão exata do seu ser, sustentando todas as coisas por sua palavra poderosa. Depois de ter realizado a purificação dos pecados, ele se assentou à direita da Majestade nas alturas,


 

Hebreus 1:4

tornando-se tão superior aos anjos quanto o nome que herdou é superior ao deles.


 

Hebreus 1:5

Pois a qual dos anjos Deus alguma vez disse: "Tu és meu Filho; eu hoje te gerei" [1]? E outra vez: "Eu serei seu Pai, e ele será meu Filho" [2]


 


 


 

MOTIVACAO


 

Hebreus 7:19

(pois a Lei não havia aperfeiçoado coisa alguma), sendo introduzida uma esperança superior, pela qual nos aproximamos de Deus.


 

Hebreus 7:25

Portanto, ele é capaz de salvar definitivamente aqueles que, por meio dele, aproximam-se de Deus, pois vive sempre para interceder por eles.


 


 

1 Pedro 2:4

À medida que se aproximam dele, a pedra viva — rejeitada pelos homens, mas escolhida por Deus e preciosa para ele —


 

"Por isso, vos digo: Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei, e abrir-se-vos-á.


 

Pois todo o que pede recebe; o que busca encontra; e a quem bate, abrir-se-lhe-á." (Lucas 11:9-10)

 


 

"se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar e orar, buscar a minha face e se afastar dos seus maus caminhos, dos céus o ouvirei, perdoarei o seu
pecado
e curarei a sua terra."
(
2 Crônicas 7:14)


 

FINALIDADE
 

Mateus 6:13

E não nos deixes cair
em tentação, mas livra-nos do mal, porque teu é o Reino, o poder e a glória para sempre. Amém[36].


 

Mateus 26:41

"Vigiem e orem para que não caiam em tentação. O espírito está pronto, mas a carne é fraca."


 

Marcos 14:38

Vigiem e orem para que não caiam em tentação. O espírito está pronto, mas a carne é fraca.


 

Lucas 11:4

Perdoa-nos os nossos pecados, pois também perdoamos a todos os que nos devem. E não nos deixes cairem tentação.


 

Lucas 22:40

Chegando ao lugar, ele lhes disse: "Orem para que vocês não caiam em tentação".


 

Lucas 22:46

"Por que estão dormindo?", perguntou-lhes. "Levantem-se e orem para que vocês não caiam em tentação!"


 

1 Timóteo 6:9

Os que querem ficar ricos caem em tentação, em armadilhas e em muitos desejos descontrolados e nocivos, que levam os homens a mergulharem na ruína e na destruição,


 

Hebreus 4:15

pois não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas, mas sim alguém que, como nós, passou por todo tipo de tentação, porém, sem pecado


 

FORMA

Mateus 6:5

E quando vocês orarem, não sejam como os hipócritas. Eles gostam de ficar orando em pé nas sinagogas e nas esquinas, a fim de serem vistos pelos outros. Eu lhes asseguro que eles já receberam sua plena recompensa.


 

Mateus 6:7

E quando orarem, não fiquem sempre repetindo a mesma coisa, como fazem os pagãos. Eles pensam que por muito falarem serão ouvidos.


 

OBSTACULOS

1 Coríntios 7:5

Não SE recusem um ao outro, exceto por mútuo consentimento e durante certo tempo, PARA se DEDICAREM à oração. Depois, unam-se de novo, para que Satanás não os tente por não terem domínio próprio.

Tiago 1:5

Se algum de vocês tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá livremente, de boa vontade; e lhe será concedida


 

Tiago 1:6

Peça-a, porém, com fé, sem duvidar, pois aquele que duvida é semelhante à onda do mar, levada e agitada pelo vento


 

Tiago 1:7

Não pense tal pessoa que receberá coisa alguma do Senhor,


 

Tiago 1:8

pois tem mente dividida e é instável em tudo o que faz.

RECURSOS

Romanos 8:26

Da mesma forma o Espírito nos ajuda em nossa fraqueza, pois não sabemos como orar, mas o próprio Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis


 

Romanos 8:27

E aquele que sonda os corações conhece a intenção do Espírito, porque o Espírito intercede pelos santos de acordo com a vontade de Deus


 

Romanos 8:28

Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, [37] dos que foram chamados de acordo com o seu propósito.


 

Romanos 8:29

Pois aqueles que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos.

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Lust x Love

"...Here are some signs to watch for to differentiate pure lust from love. SIGNS OF LUST You're totally focused on a person's looks and body. You're interested in having sex, but not in having conversations. You'd rather keep the relationship on a fantasy level, not discuss real feelings. You want to leave soon after sex rather than cuddling or breakfast the next morning. You are lovers, but not friends. SIGNS OF LOVE You want to spend quality time together other than sex. You get lost in conversations and forget about the hours passing. You want to honestly listen to each other's feelings, make each other happy. He or she motivates you to be a better person. You want to get to meet his or her family and friends.(...)" http://www.psychologytoday.com/blog/emotional-freedom/201108/lust-vs-love-do-you-know-the-difference

terça-feira, 17 de junho de 2014

Grandes orações da Bíblia

Para saber mais: http://www.bibliaonline.net/estudos/?acao=licoes&estudo=3

Intertextualidade e a Bíblia

Para saber mais: http://professorlandon.wordpress.com/artigos-2/intertextualidade-e-a-biblia/

Novidade de Vida - Entendimento

(c) 1998 - 2011 Respeite os direitos autorais, ao reproduzir mencione a fonte http://www.ICHTUS.com.br. "E ele prosseguiu: Não tenha medo, Daniel. Desde o primeiro dia em que você decidiu buscar entendimento e humilhar-se diante do seu Deus, suas palavras foram ouvidas, e eu vim em resposta a elas." (Daniel 10:12) Já meditei muitas vezes neste texto, mas admito que sempre foi no sentido de uma oração que foi atendida ou para valorizar a perseverança na espera de uma benção. Hoje me salta aos olhos que tudo mudou, segundo o recado do anjo, quando Daniel "decidiu buscar entendimento". Venho de um ensino e cultura eclesiástica na qual pensar demais era quase pecado, soava como falta de fé e me rotulava como curioso demais. Entendimento nunca foi prioridade, mas decorar texto bíblico e evangelizar sim. Me dou conta agora, depois de tantos anos, que muitas de minhas orações devem ter ficado (ou me deixado) no vácuo apenas por que não me apliquei ao entendimento. Não estou pregando que devamos entender a Deus, até por que isso seria o. Mas temos tantos entendimentos que nos são necessários: entender a situação, entender o que fazer, entender o motivo ou causa, entender o resultado, entender o propósito de Deus, entender meu papel e responsabilidade... Talvez não todos, talvez não o tempo todo, mas esses entendimentos nos são valiosos. Note, uma vida renovada e de novidade em Cristo é uma vida de buscar entendimento e humilhar-se diante Dele. Mesmo não conseguindo, o papel que nos cabe é buscar. Tudo que Deus tiver para mim que possa me ajudar ou fortalecer para eu servi-lo melhor, eu quero, faço questão. Isso deve incluir algum entendimento e portanto nesse sentido buscar entendimento não pode ser pecado. Humilhar-se diante de Deus vem logo a seguir, pois o mero entendimento seja qual for não me serve de nada. Se eu não tiver o temor de Deus que é necessário para qualquer empreitada, é melhor nem começar. Talvez isso explique a conduta de algumas pessoas dentro da igreja que, de forma muito superficial, argumentam que Deus não atende suas orações ou não entendem o propósito de Deus para isso ou aquilo. O que acaba ocorrendo é um esfriamento da fé, como se a fé dependesse de dar certo para ser nutrida. Eu preciso conseguir crer em Deus por Ele ser Deus, não por Ele me atender quando peço algo. Temos de concordar que mesmo fazendo tudo certo e levando uma vida reta em sua geração, Daniel teve de esperar muitos dias pela resposta que não chegava. Isso para nós é uma lição de que, para certas coisas que se resolvem no mundo espiritual, mesmo a nossa santidade pode não bastar. Tem muita coisa envolvida que não compreendemos e nem nos cabe entender. O que precisamos é perseverar em cima de promessa, de convicção, de revelação - isso não é racional mas é entendimento. Quero ainda aprender muito na minha vida com gente como Daniel, que se aplicou de tal maneira a buscar algo de Deus que mobilizou anjos e batalhas espirituais contra principados. Que honra e que privilégio ser assim valorizado pelo Todo Poderoso. Quero ser assim. "Senhor, me ensina a buscar em Ti o entendimento que preciso para todas as coisas da vida, desde o simples até o mais complicado. Eu te dou graças por Teu Espírito que vive em mim." Mário Fernandez Deixe o seu comentário no site: http://www.ichtus.com.br/dev/2014/06/16/novidade-de-vida-entendimento/

sábado, 14 de junho de 2014

Vencendo o pecado e a tentação (John Owen)

Para saber mais: http://www.johnowen.org/media/OvercomingSinAndTemptation.pdf

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Qual é o lugar do religioso no mundo?

Fé e Política é um site de uma proposta conciliadora e o texto do Leonardo Boff, como de costume, nos leva a essa profunda reflexão sobre a relevância da nossa presença por aqui. RECOMENDO! Para saber mais:http://www.fepolitica.org.br/index.php/leonardo-boff/228-leonardo-boff-qual-e-o-lugar-do-religioso-no-mundo

sábado, 24 de maio de 2014

oracao imprecatoria

Para saber mais: http://www.palavraprudente.com.br/estudos/ben_gg/miscelania/cap03.html

quarta-feira, 23 de abril de 2014

O maior dos hiatos de qualidade: a humildade do Messias

É flagrante o desalinhamento entre as expectativas dos contemporâneos de Jesus e a sua reivindicação de ser reconhecido como o Messias de Israel. Ainda hoje, o escândalo da cruz em que Cristo foi apresentado como cordeiro em sacrifício vicário no lugar de Barrabás (tipificando a humanidade), evidencia-se na perplexidade ante o paradoxo do Messias crucificado. Para saber mais: http://darwinedeus.blogfolha.uol.com.br/2014/04/23/desculpai-mas-jesus-existiu-epilogo/ “O que é Hiato: Hiato tem origem no termo Latim “hiatus”, cujo significado é “abertura, fenda, lacuna”, abrangendo diferentes conceitos e aplicações. No sentido figurado, um hiato representa uma falha, uma lacuna. Pode ainda ser definido como uma interrupção entre dois acontecimentos...”. Fonte: http://www.significados.com.br/hiato/ “...vejam os hiatos da qualidade: I. Hiato das expectativas: quando ocorre um desalinhamento entre a expectativa do cliente e as percepções da gerência de qual seja a expectativa do cliente a respeito do serviço. II. Hiato das especificações: quando ocorre um desalinhamento entre as percepções da gerência de qual seja a expectativa do cliente a respeito do serviço e a tradução dessas percepções em especificações do serviço. III. Hiato da entrega: ocorre quando há um desalinhamento entre as especificações do serviço e o serviço prestado. IV. Hiato da comunicação: desalinhamento entre a prestação do serviço e a comunicação com o cliente a respeito do serviço. V. Hiato da qualidade percebida do serviço: ocorre quando há um desalinhamento entre a expectativa do cliente e a sua percepção quanto ao serviço prestado...” (G.N.) Fonte: http://blog.panrotas.com.br/ofuturoehoje/index.php/2011/09/02/hiatos-da-qualidade-de-servicos/ “INRI é o acrónimo de Iesvs Natsarenus Rex Ivdaeorvm, do latim, "Jesus de Nazaré, Rei dos Judeus". Segundo os evangelhos, foi o título que Pilatos ordenou que fosse fixado na cruz onde Jesus Cristo foi morto. Segundo o Evangelho de São João, Pilatos teria feito redigir o texto em latim, grego (Ἰησοῦς ὁ Ναζωραῖος ὁ Bασιλεὺς τῶν Ἰουδαίων) e hebraico (ישוע הנצרת מלך היהודים).”. Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/INRI “Era a hora terceira quando o crucificaram. A inscrição que motivava a sua condenação dizia: O rei dos judeus. Crucificaram com ele dois bandidos: um à sua direita e outro à esquerda. {Cumpriu-se assim a passagem da Escritura que diz: Ele foi contado entre os malfeitores {Is 53,12}.} Os que iam passando injuriavam-no e abanavam a cabeça, dizendo: Olá! Tu que destróis o templo e o reedificas em três dias, salva-te a ti mesmo! Desce da cruz! Desta maneira, escarneciam dele também os sumos sacerdotes e os escribas, dizendo uns para os outros: Salvou a outros e a si mesmo não pode salvar! Que o Cristo, rei de Israel, desça agora da cruz, para que vejamos e creiamos! Também os que haviam sido crucificados com ele o insultavam. Desde a hora sexta até a hora nona, houve trevas por toda a terra. E à hora nona Jesus bradou em alta voz: Elói, Elói, lammá sabactáni?, que quer dizer: Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?” (Marcos 15:25-34) “Depois de lhes lavar os pés e tomar as suas vestes, sentou-se novamente à mesa e perguntou-lhes: Sabeis o que vos fiz? Vós me chamais Mestre e Senhor, e dizeis bem, porque eu o sou. Logo, se eu, vosso Senhor e Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar-vos os pés uns aos outros. Dei-vos o exemplo para que, como eu vos fiz, assim façais também vós. Em verdade, em verdade vos digo: o servo não é maior do que o seu Senhor, nem o enviado é maior do que aquele que o enviou. Se compreenderdes estas coisas, sereis felizes, sob condição de as praticardes.” (João 13:12-17) Estes textos são apenas alguns dos muitos relatos bíblicos em que Jesus Cristo é percebido de forma diversa daquela esperada pelos seus conterrâneos. Consequentemente, decorrem daí todos os demais desalinhamentos entre a expectativa e a realidade em todas as dimensões da percepção humana lá e então, como aqui e agora. A única solução para tal impasse está posta no imperativo do próprio Cristo: “Não temas. Crê somente.” “Sem fé é impossível agradar a Deus.”

terça-feira, 22 de abril de 2014

A FALÁCIA EM TORNO DE AMAR

Autoria de: © Darlyson Feitosa – Brasília/DF 2007. Falácia é o raciocínio lógico, muitas vezes contundente – mas falso, que simula a veracidade: parece ser verdade, mas não expressa de fato a verdade. Geralmente a falácia é tratada como paralogismo ou sofisma, isto é, uma declaração com contornos adequados, mas de núcleo falso, duvidoso e, portanto, condenável. A teologia não é livre das falácias – ao contrário, no meio teológico há ambiente favorável ao aparecimento e propagação de muitas falácias, como: a idéia de um kairós de Deus e um chrónos humano; a concepção no meio evangélico de que a eucharistía e a chrisma são práticas exclusivas dos católicos; a falácia do fundo de uma agulha de Mc 10,25 ser uma porta estreita no muro da cidade. O presente texto trata de uma falácia popularizada inicialmente nos Estados Unidos, encontrando em nosso meio igual ou maior afeição, que á a idéia de sentidos teológicos distin¬tos entre os verbos filéo e agapáo. A falácia se encontra na afirmação que agapáo é o amor genuíno, o amor de Deus, e filéo é o amor fraternal, o gostar de. No mero exame da terminologia neotestamentária constata-se, porém, que os dois verbos são sinônimos, e são usados indistintamente. O uso de filéo ratifica o ar¬gumento (grifo nosso): i. o` ga.r path.r filei/ to.n ui`o.n (o Pai ama o Filho - Jo 5,20, refe¬rindo-se ao amor de Deus por Jesus). Se houvesse distinção entre os verbos, esperaríamos aqui que o verbo fosse agapáo. A idéia de Deus gostar muito de Jesus requereria um esforço argumentativo, a meu ver, inoperante. ii. Ku,rie( i;de o]n filei/j avsqenei/ (Senhor, aquele que tu amas está do¬ente - Jo 11,3, referindo-se ao amor de Jesus por Lázaro). Mais adiante (Jo 11,35.36) João escreverá que Jesus chorou próximo ao sepulcro de Lázaro e que, por isso, os judeus ali presentes ficaram admirados (um rabi chorando em público!) e disseram “vede quanto o amava”, onde filéo também é usado. O contexto de ambas declarações indica genuíno amor, não mero sentimento de afeição. Ou seja, se a falácia não fosse falácia, esperaríamos agapáo para o sentimento de Jesus, não filéo. iii. auvto.j ga.r o` path.r filei/ u`ma/j (pois o próprio Pai vos ama - Jo 16,27, referindo-se ao amor de Deus pelos discípulos). À semelhança do amor do Pai pelo Filho, o amor de Deus pelos discípulos é expressado com filéo. iv. ei; tij ouv filei/ to.n Ku,rion h;tw avna,qema (se alguém não ama o Se¬nhor, seja anátema - 1Cor 16,22, referindo-se ao amor que o homem deve ter pelo Senhor). Ora, em virtude da importância que Paulo dá àquilo que os coríntios deveriam sentir pelo Senhor, seria natural que ele se expressasse com agapáo ao invés de filéo, se agapáo fosse de fato mais intenso, mais genuíno, mais forte. No entanto, o que temos nessa declaração tão contundente é o uso de filéo, com uma ameaça de maldição em caso de não cumprimento. v. evgw. o[souj eva.n filw/( evle,gcw kai. paideu,w (quanto a mim, repreendo e cor¬rijo todos aqueles a quem amo - Ap 3,19, referindo-se ao amor de Deus pelos seus). O amor de Deus por Jesus, pelos discípulos e pelos seus filhos em geral é grafado com filéo. Se filéo fosse inferior a agapáo, dificilmente seria o verbo usado nesses textos. Um diálogo frequentemente usado em pregações e estudos bíblicos que, possivelmente, foi o que popularizou a falácia da distinção entre filéo e agapáo, é o texto de Jo 21,15-17, onde Jesus e Pedro dialogam. Por três vezes Jesus pergunta para Pedro “amas-me...?”, usando nas duas primeiras vezes agapáo, e na terceira vez filéo. As três respostas de Pedro são sempre com filéo. Os defensores da distinção entre os vocábulos argumentam basicamente no fato de Pedro, envergonhado, não ter tido a coragem de afirmar categoricamente diante de Jesus que o amava verdadeiramente (agapáo), só podendo se expressar através de filéo. Algumas considerações sobre isso: 1ª. Possivelmente o diálogo foi realizado em aramaico, o idioma da intimidade judaica, muito propício para aquele momento entre Jesus e Pedro, primeiro encontro entre os dois depois da tríplice negação de Pedro. E, se admitirmos, pelo menos como hipótese, tal diálogo entre os dois em aramaico, o vocábulo que teria sido usado só poderia ser o tradicional 'âhabhtâ, usado indistintamente para o amor a Deus, o amor de Deus e o amor entre os seres humanos (inclusive o amor conjugal). 2ª. Na hipótese de um diálogo em grego, é necessário então, antes de se constatar o uso de agapáo e filéo, duas indicações textuais importantes: (a) Nas duas primeiras respostas, Pedro diz: “sim, Senhor, tu sabes que eu te amo”. Não caberia a resposta “sim” com a modificação de sentido nos vocábulos, algo como “sim, tu sabes que eu gosto muito de ti”. Para isso fazer sentido, Pedro teria que responder “não, Senhor, eu não te amo [o suficiente], eu apenas gosto muito de ti”. Visto que Pedro responde “sim”, então a mudança de vocábulos (agapáo na pergunta e filéo na resposta) só pode ser entendida como sinônimos; (b) João faz um comentário editorial em 21,17 bem sugestivo: “Pedro entristeceu-se por ele lhe ter dito, pela terceira vez: Tu me amas?” O verbo usado nessa nota editorial é filéo. Ora, sabemos já que Jesus não usou filéo pela terceira vez – na verdade ele usou filéo apenas na terceira pergunta. Caso houvesse distinção entre os vocábulos, esperaríamos que João mantivesse a distinção e escrevesse algo como “Pedro se entristeceu por ele ter mudado de amar para gostar” ou “Pedro se entristeceu por não ter conseguido responder que amava Jesus, mas apenas gostava dele”, ou, mais triste, “Pedro se entristeceu por Jesus não ter mais esperado que ele o amasse e ter apelado para a simpatia de Pedro”. Ainda argumentando tendo filéo como base, outras narrativas do NT ratificam a indistinção dos dois verbos: (1) Em Mt 10,37 Jesus espera dos seus pretensos seguidores um amor maior, mais exclusivo do que o amor dispensado aos pais. As duas ocorrências do particípio grego são com filéo; (2) Há no cristianismo uma forte tradição em cima do misterioso discípulo amado, que aparece em Jo 20,2. A expressão “o outro discípulo, a quem Jesus amava” é grafada com filéo. O argumento tendo agapáo como base é igualmente ilustrativo – não há um quê de divino no vocábulo: (1) o amor ao próximo pode ser evidenciado com agapáo (Mt 5,43) – amor aos inimigos também (Mt 5,44)!; (2) o amor dos seres humanos às coisas más (trevas) é grafado com agapáo (Jo 3,19); (3) Demas amou [agapáo] o presente século (1Tm 4,10); (4) Balaão amou [agapáo] o prêmio da injustiça (2Pd 2,15). Ou seja, agapáo pode ser usado não apenas sob o ponto de vista da virtude, mas do pecado. Diante desta e de outras falácias, importa que os vocábulos gregos sejam analisados e comparados. Ainda que um determinado texto seja atrativo sob determinado ponto de vista (geralmente o ponto de vista que nós queremos provar como verdadeiro), é necessário colocá-lo sob o crivo das demais declarações que utilizam o mesmo termo. Fazendo assim evitaremos distorções. Há, de fato, uma evidente distinção entre filéo e agapáo: é quando filéo possui o sentido de beijar (Mt 26,48; Mc 14,44; Lc 22,47). Mas esse beijo de Judas já é outra história.

"Espiritualidade Organizacional"

RESENHA "Espiritualidade Organizacional" by Fava, Rubens e Gilz,Claudino - 2008, Brasport, RJ. 10 capítulos Prefácio de Ken O’Donnell: Contexto: “...Fala-se muito da necessidade de mudar o paradigma de ‘comando-e-controle’ que é completamente incapaz de lidar com a complexidade que o caos alheio, dinâmico e contínuo produz a todo o momento...O próprio trabalho é visto pela maioria como um ofício necessário onde podemos ganhar dinheiro suficiente para ‘viver’ as nossas vidas fora dos expedientes...” Metodologia: “...Rubens Fava e Claudino Gilz usam o método de diálogo para retratar a inquietude de um executivo preso na máquina produtiva querendo se sentir livre para expressar sua essência. O livro representa a busca de cada um de nós por respostas mais profundas das razões de por que fazemos o que fazemos e para onde vamos com tanta correria...” Abordagem Conceitual: “...Bem no começo do livro ele explica que a espiritualidade não se refere a religião. De modo geral uma religião é uma organização coletiva que ensina uma forma específica de desenvolver uma experiência espiritual. Normalmente é acompanhado de dogmas, rituais e uma forma bastante estruturada de buscar os segredos da vida para grupos de pessoas...A espiritualidade, por outro lado, é uma expressão individual de dentro para fora. Não depende de uma organização externa. É viver a vida de coração e não superficialmente. Para alguns, a espiritualidade envolve uma convicção de que Deus existe. Para outros, ela se expressa de formas diferentes. Paradoxalmente, no coração de todas as religiões existe uma espiritualidade que é muito parecida em todas elas...” Estratégia Organizacional: “...Para fins de uma empresa, uma boa definição de espiritualidade é justamente a prática de valores humanos em situações adversas. Não é sinônimo de religião. Embora pessoas religiosas possam ter um comportamento ‘espiritualizado’, nem sempre é o caso. Por isso, desenvolver a inteligência espiritual na empresa não significa esoterismo, rituais estranhos, paredes com cores novas ou sessões de passes. No mínimo, é o desenvolvimento verdadeiro dos próprios valores previstos no plano estratégico e que são a base do desempenho de boas equipes de trabalho. No máximo, é a permissão de revelar os valores especiais de cada ser...O desenvolvimento de tais valores – paciência, agilidade e equilíbrio – e tantos outros no nível pessoal, bem como os valores coletivos associados à responsabilidade social e ambiental, se tornou fundamental para a sobrevivência num mundo dinâmico, complexo e cada vez mais imprevisível.” Idéia Central: “As pessoas são como vitrais coloridos: cintilam e brilham quando o sol está do lado de fora, mas quando a escuridão chega sua verdadeira beleza é revelada apenas se existir luz no interior". Citação de frase atribuída à psiquiatra suíça Elisabeth Kübler-Ross (à página 70 do livro "Espiritualidade Organizacional"