Frequência

Flag Counter

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Vá com Deus, Matildes!

"Porque todos quantos fostes batizados em Cristo já vos revestistes de Cristo. Nisto não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus" Gálatas 3.27-28. Redijo esta breve nota em desagravo à estimada irmã Matildes, cujo profícuo e ilibado ministério missionário em nosso meio Batista Tradicional está materializado na Congregação em Águas Lindas, violenta cidade do entorno de Brasília; nos jovens toxicômanos recuperados pelo Ministério Servo, onde também atuou; bem como na organização das agendas e na convocação de pregadores para os cultos nos lares, nas muitas vigílias de oração e demais iniciativas evangelísticas efetivadas ao longo dos anos em que labutou conosco na SIBPP em prol do resgate dos perdidos nas trevas do pecado. Abstive-me de pronunciar minha opinião na sessão ordinária de ontem, na SIBPP, ocasião em que foi lida a sua carta (dela Matildes), diga-se de passagem, belamente redigida em um raro e bom português. Porém, não posso deixar de externar-me solidário e triste pelo seu desligamento da denominação Batista, ato que nos remete à constatação de que não há espaço adequado em pleno século XXI para a atuação ministerial das “Déboras” em nosso meio (vide http://emeric.wordpress.com/2009/03/12/debora-juiza-e-profetisa-de-israel/). Vá com Deus Matildes, como no passado também já foi a missionária Valnice Milhomens, e seja recebida de braços abertos por aqueles que já conseguiram superar essa síndrome machista que tolhe o serviço profético de nossas muitas mulheres, posto que são elas a maioria em nossos arraiais. Enquanto faltarem homens suficientes dispostos para a porfia, Deus continuará a suscitar mulheres de valor, coragem e ousadia ímpares como a sua para fazer face aos desafios. Quando faltarem ambos, Deus haverá de fazer clamarem até as pedras, se necessário for (Lucas 19:40). Felizmente, o Reino de Deus é muito grande e variado. Entendo melhor agora o porquê de tantas nuances e matizes. Em sua sabedoria, o Senhor providenciou um vasto leque de oportunidades onde todos possam, enfim, expressar a singularidade de sua fé (1 Pd 4.10). Já estou com saudades de ti... Em Cristo, Adauto da Costa Santos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário