Frequência

Flag Counter

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Evagelizando no trabalho...

Colega 2, Tentarei fazer uma síntese para que você possa entender essa questão literalmente CRUCIAL do evangelho, pois é necessário contextualizar bíblica, histórica e culturalmente essa doutrina: a Soteriologia (doutrina da Salvação). “Porque todos pecaram e destituídos estão da Graça de Deus”. (Romanos 3:23) Contexto bíblico: No Velho Testamento, o Pentateuco ou Torá (conjunto dos primeiros cinco livros da Bíblia) introduz a chamada Lei de Moisés, a partir de um conjunto de preceitos cuja síntese se encontra no capítulo 20 do livro de Êxodo: os dez mandamentos (cinco verticais: homem-Deus, cinco horizontais: homem-homem). Por homem, entenda-se espécie humana, ou seja: homem e mulher. Em conseqüência da incapacidade humana em atingir o alvo determinado por Deus, surge o PECADO (http://www.palavraprudente.com.br/estudos/cdcole/sermaov2/cap04.html). Trata-se da impossibilidade do homem atender ao elevado padrão da Lei. Por isso foi instituído o sistema sacerdotal, cuja finalidade básica era proporcionar a intermediação entre o Deus santo e o homem pecador. Para tanto, eram apresentados sacrifícios para a expiação dos pecados do povo (na primeira páscoa foi imolado um cordeiro por família), pois ’ De fato, segundo a Lei, quase todas as coisas são purificadas com sangue, e sem derramamento de sangue não há perdão de pecados’. (Hebreus 9:22 ). Mas porque o sangue? "Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor." [Romanos 6:23] No Novo Testamento, os evangelhos relatam a vida de Jesus Cristo e seus ensinos contrários à interpretação oficial dos sacerdotes, que se mostraram incapazes de intermediar essa relação, pois eles mesmos também eram pecadores e, como tais, sucumbiram à hipocrisia e à tentação do poder. Leia o Evangelho de João, em especial a historia do encontro de Jesus com o sacerdote Nicodemos:“Necessário vos é nascer de novo". João 3.7 (Para saber mais: http://www.estudobiblico.org/component/taxonomy/nascer%20de%20novo) e a providência divina para a solução definitiva desse impasse: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3:16). Contexto histórico: Quando Moisés nasceu, o povo de Deus estava sob a escravidão no Egito. A missão de Moisés foi libertar o povo, conduzi-lo à Terra Prometida Canaã (desde os tempos do pai Abraão) e constituir a nação de Israel. No trajeto, em conseqüência do pecado da idolatria, aquela geração peregrinou por cerca de 40 anos no deserto até ser extinta (exceto Calebe e Josué). Somente os descendentes tiveram acesso a Canaã. Quando Jesus nasceu, Israel estava sob o domínio do Império Romano. A missão de Jesus foi libertar a humanidade do pecado. Esta missão foi confundida pelos contemporâneos de Cristo, especialmente os do partido revolucionário (Zelotes), como sendo de natureza temporal: libertação do domínio romano. Os Fariseus, partido da situação na época, sentiram-se ameaçados e incriminaram Jesus diante das autoridades romanas, induzindo à crucificação. Contexto cultural: No oriente, há costumes e filosofias muito díspares em relação à cultura ocidental. Para saber mais: http://www.hottopos.com/mirand4/orientee.htm Enfim, essa matéria requer muito estudo e não tenho a pretensão de esgotá-la. Espero ter-lhe oferecido uma breve introdução. O aprofundamento depende do seu nível de interesse. A resposta ao seu questionamento está na declaração de João Batista ao ver Jesus vindo ao seu encontro para ser batizado: “Eis o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo” (João 1:29). Coloco-me à disposição para os esclarecimentos adicionais. Grato pela confiança, Adauto da Costa Santos -------------------------------------------------------------------------------- De: Colega 2 Enviada em: terça-feira, 11 de maio de 2010 15:17 Para: Adauto da Costa Santos Assunto: RES: LIBERDADE??? - FOTOS IMPRESSIONANTES - Relembrando um pouco de história. Adauto boa tarde, Me permita usufruir um pouco dos seus vastos conhecimentos e solicitar esclarecimentos em uma questão bíblica que tenho tanta dúvida: Sempre ouço e leio que Jesus Cristo morreu para nos salvar... mas, não entendo como o gesto dele de morrer na cruz tenha nos salvado. Evidentemente que ele poderia simplesmente abdicar da morte e se salvar, enfim ele é o filho de Deus. Ele não fez isso, se sacrificou e morreu como um humano qualquer. Então... qual é o real significado de dizer que ele morreu para nos salvar? Um abraço, Colega 2 -------------------------------------------------------------------------------- De: Adauto da Costa Santos Enviada em: terça-feira, 11 de maio de 2010 11:23 Para: Colega 1 Cc: Diversos outros colegas, inclusive o colega 2 Assunto: ENC: LIBERDADE??? - FOTOS IMPRESSIONANTES - Relembrando um pouco de história. Colega 1, Costumo me classificar politicamente como co-beligerante (nos termos de Francis Schaeffer no artigo .pdf anexo) e apartidário, pois a dificuldade do sectarismo, exemplificada no seu .pps é que esse discurso também pode servir para as outras vias, basta mudar as siglas e tudo se encaixará como uma luva. Todo extremismo partidário é nocivo e pernicioso, não importa se de “Direita” ou de “Esquerda”. Esta verdade acerca do sectarismo se aplica também à vida cristã (Vide http://www.igrejaemuberaba.org.br/refletindo_detalhe.php?reflexao=94) Só Jesus Cristo Salva! Afinal, o seu reino não é deste mundo: http://www.estudosdabiblia.net/a15_23.htm “E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus”. (Romanos 12:2) Adauto da Costa Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário