Frequência

Flag Counter

segunda-feira, 23 de março de 2009

A sordidez do poder humano versus a sublimidade do poder de DEUS!

Leitura recomendada:
As 48 leis do poder
"Respondeu-lhes Jesus: Errais não conhecendo as Escrituras nem o PODER DE DEUS"
(Mt 22.29)






O Poder do Silêncio

J Y Leloup

Aprende com o silêncio a ouvir os sons interiores da sua alma,

a calar-se nas discussões e assim evitar

tragédias e desafetos...

Aprende com o silêncio a aceitar alguns fatos que você provocou,

a ser humilde deixando o orgulho gritar lá fora,

evitar reclamações vazias e sem sentido...

Aprende com o silêncio a reparar nas coisas mais simples,

valorizar o que é belo, ouvir o que faz algum sentido...

Aprende com o silêncio que a solidão não é o pior castigo,

existem companhias bem piores...

Aprende com o silêncio que a vida é boa,

que nós só precisamos olhar para o lado certo,

ouvir a música certa, ler o livro certo.

Aprende com o silêncio que tudo tem um ciclo,

como as marés que insistem em ir e voltar,

os pássaros que migram e voltam ao mesmo lugar,

como a Terra que faz a volta completa

sobre o seu próprio eixo,

complete a sua tarefa.

Aprende com o silêncio a respeitar a sua vida,

valorizar o seu dia,

enxergar em você as qualidades que você possui,

equilibrar os defeitos que você tem

e sabe que precisa corrigir

e enxergar aqueles que você ainda não descobriu.

Aprende com o silêncio a relaxar, mesmo no pior trânsito,

na maior das cobranças, na briga mais acalorada,

na discussão entre familiares...

Aprende com o silêncio a respeitar o seu "eu",

a valorizar o ser humano que você é,

a respeitar o Templo que é o seu corpo,

e o Santuário que é a sua vida.

Aprende hoje com o silêncio, que gritar não traz respeito,

que ouvir ainda é melhor que muito falar...

Na natureza tudo acontece com poder e silêncio,

com um silêncio poderoso; por vezes,

o silêncio é confundido com fraqueza, apatia ou indiferença.

Pensa-se que a pessoa portadora dessa virtude

está impedida de reclamar seus direitos

e deve tolerar com passividade todos os abusos.

Acredita-se que o silêncio não combina com o poder,

pois este tem se confundido com prepotência e violência.

O Sol nasce e se põe em profunda quietude;

move gigantescos sistemas planetários,

mas penetra suavemente pela vidraça de uma janela

sem a quebrar.

Acaricia as pétalas de uma rosa sem a ferir,

e beija as faces de uma criança adormecida

sem a acordar;

aí uma vez vamos encontrar na natureza lições preciosas

a nos dizer que o verdadeiro poder anda de mãos dadas

com a quietude.

As estrelas e galáxias descrevem as suas órbitas

com estupenda velocidade pelas vias inexploradas do cosmos,

mas nunca deram sinal da sua presença

pelo mais leve ruído.

O oxigênio, poderoso mantenedor da vida,

penetra em nossos pulmões,

circula discreto pelo nosso corpo,

e nem lhe notamos a presença.

A luz, a vida e o espírito, os maiores poderes do universo,

atuam com a suavidade de uma aparente ausência.

Como nos domínios da natureza,

o verdadeiro poder do homem

não consiste em atos de violência física,

quando um homem conquista o verdadeiro poder,

toda a antiga violência acaba em benevolência.

A violência é sinal de fraqueza,

a benevolência é indício de poder.

Os grandes mestres sabem ser severos e rigorosos

sem renegarem a mais perfeita quietude e benevolência.

Deus, que é o supremo poder,

age com tamanha quietude que a maioria dos homens

nem percebem a Sua ação.

Essa poderosa força, na qual todos estamos mergulhados,

mantém o Universo em movimento,

faz pulsar o coração dos pássaros,

dos bandidos e dos homens de bem,

na mais perfeita leveza.

Até mesmo a morte, chega de mansinho e,

como hábil cirurgiã, rompe os laços

que prendem a alma ao corpo, libertando-a

do cativeiro físico.

O verdadeiro poder chega:

sem ruído, sem alarde e sem violência.

Sempre que a palavra poder lhe vier à mente,

lembre-se do Sol: nasce e se põe em profunda quietude;

move gigantescos sistemas planetários,

mas penetra suavemente pela vidraça de uma janela

e você só sabe pelo calorzinho que ele proporciona.

Acarinha as pétalas de uma flor sem a ferir,

beija as faces de uma criança adormecida sem a acordar.

"Bem aventurados os mansos, porque eles possuirão a Terra".

"Boa Terra em teus pés, Água o bastante em tua semente,

bom Vento para o teu sopro, Fogo em teu coração e

muito Amor em teu ser.”

"O êxito ou o fracasso de sua vida não depende

de quanta força você põe em uma tentativa,

mas da persistência no que fizer."

E em respeito a você, eu me calo, me silencio,

para que você possa ouvir o seu interior que quer lhe falar,

desejar-lhe uma vida vitoriosa .

Desejo uma semana de Paz e Silêncio para você.

Fonte: Castelo dos Sonhos

13 Julho 2009


domingo, 1 de março de 2009

A Igreja precisa crescer

Mensagem proferida pelo Pr. Isaltino Coelho Filho (http://www.isaltinogomes.com/), em 28/02/2009, por ocasião das celebrações pelo 47º aniversário de fundação da Segunda Igreja Batista do Plano Piloto, em Brasília – DF (http://www.sibpp.org.br/), conforme apreendida por este seu ex-aluno de homilética na FTBB (http://www.ftbb.org.br/).

Texto bíblico:
“Assim, pois, a igreja em toda a Judéia, Galiléia e Samaria, tinha paz, sendo edificada, e andando no temor do Senhor; e, pelo auxílio do Espírito Santo, se multiplicava.” Atos 9:31

Introdução:

É preciso contextualizar o texto no seu contexto. O capítulo 9 do livro de Atos dos Apóstolos, no Novo Testamento, é um divisor de águas, um texto de transição. Até o capítulo 8 a igreja era judaica. A partir da conversão de Saul (hebraico) para Paulo (romano), a Igreja se universaliza.
Após o registro de vários milagres operados pela ação do Espírito Santo na vida de Pedro: o Apóstolo judeu, o último versículo do capítulo 9 de Atos, o de referência nº 43, apresenta um detalhe que costuma passar despercebido: Pedro se hospedando por muitos dias na casa de Simão, o curtidor. Ora, que inusitado, um judeu ter tal intimidade com alguém que tocasse mortos ou qualquer coisa considerada impura e o curtidor era alguém cuja profissão trabalhava a pele, o couro de animais mortos.
Em seguida, Pedro se vê impelido aos gentios pelo Espírito Santo, como já sucedera com Filipe no capítulo anterior (Atos 8:5,26), e por intermédio de um sonho didático é preparado para encontrar-se com Cornélio, o centurião romano de Atos 10:22.
No verso 31 do capítulo 9 de Atos, temos que o crescimento da Igreja precisa ocorrer em quatro dimensões: para dentro, para baixo, para cima e para fora.
1 – A Igreja precisa crescer para dentro: “...a igreja em toda a Judéia, Galiléia e Samaria, tinha paz...”
A Igreja já se espalhara por toda a Judéia, Galiléia e Samária, pois tinha PAZ. Este atributo, um dos gomos do Fruto do Espírito (Gálatas 5:22), precedeu tudo o mais que se seguiu a partir daí.
Uma igreja onde não haja paz perde toda a autoridade para testemunhar ao mundo. Em Mateus 17:21, o Senhor Jesus Cristo intercede pela sua Igreja no sentido de que todos sejam um nEle como Ele o é com o Pai, a fim de que o mundo creia...
Em Efésios 2:14 a 19, Paulo registra o propósito de Deus cumprido, o que desautoriza aquele cântico “Pai faz-nos um”, pois Ele já fez. Resta-nos apropriarmo-nos disso, ao invés de nos digladiarmos em partidarismos, vaidades e hipocrisias divisórias, tais como a da ilustração abaixo:
O leão acordou em sua jaula do zoológico e percebeu que a porta estava aberta. Cautelosamente saiu e, passando pela jaula do macaco, este lhe perguntou aonde ia. Respondeu-lhe que ia resgatar a glória de seus antepassados dilaceradores de cristãos nas arenas do Coliseu romano. O macaco disse-lhe que deveria atualizar-se, pois os cristãos dominaram o mundo, agora são vaidosos e presunçosos. Ao que o leão lhe perguntou quem os devorava agora e o macaco respondeu que eram eles próprios.
Missões e Evangelismo, conquanto comissões primárias da Igreja, dependem do pré-requisito de relacionamentos pacíficos de amor entre seus membros. No contexto da oração sacerdotal do Senhor, são conseqüência e não um fim em si mesmos.
Para tanto, precisamos passar à próxima dimensão do crescimento da Igreja:
2 – A igreja precisa crescer para baixo: “...sendo edificada...”
Uma casa sem alicerces não pode subsistir. É como uma casa edificada sobre a areia, quando deveria ser edificada sobre a ROCHA.
“Ele é a Rocha; suas obras são perfeitas, porque todos os seus caminhos são justos; Deus é fiel e sem iniqüidade; justo e reto é ele.” Deuteronômio 32:4
“Porque ninguém pode lançar outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo.” I Coríntios 3:11
“...edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, sendo o próprio Cristo Jesus a principal pedra da esquina; no qual todo o edifício bem ajustado cresce para templo santo no Senhor, no qual também vós juntamente sois edificados para morada de Deus no Espírito.” Efésios 2:20-22
3 – A Igreja precisa crescer para cima: “...e andando no temor do Senhor;...”
Os caminheiros de Emaús (Lucas 24:31,32), após uma jornada ao lado do Senhor Jesus ressurreto, só o reconheceram por que tiveram intimidade bastante para discernir seu ensino, seu gestual, etc.
“Abriram-se-lhes então os olhos, e o reconheceram; nisto ele desapareceu de diante deles. E disseram um para o outro: Porventura não se nos abrasava o coração, quando pelo caminho nos falava, e quando nos abria as Escrituras?”
O próprio Senhor se identificou como um verdadeiro pastor de ovelhas em contraste com o mercenário:
“A este o porteiro abre; e as ovelhas ouvem a sua voz; e ele chama pelo nome as suas ovelhas, e as conduz para fora.” João 10:3
“Mas o que é mercenário, e não pastor, de quem não são as ovelhas, vendo vir o lobo, deixa as ovelhas e foge; e o lobo as arrebata e dispersa. Ora, o mercenário foge porque é mercenário, e não se importa com as ovelhas.” João 10:12,13
Além do auxílio pastoral legítimo, é necessário crescer também em santidade, o que só pode ser obtido na presença de Deus, mediante a sujeição à disciplina do Espírito Santo operando em nós.
“Mas, se estais sem disciplina, da qual todos se têm tornado participantes, sois então bastardos, e não filhos. Além disto, tivemos nossos pais segundo a carne, para nos corrigirem, e os olhávamos com respeito; não nos sujeitaremos muito mais ao Pai dos espíritos, e viveremos? Pois aqueles por pouco tempo nos corrigiam como bem lhes parecia, mas este, para nosso proveito, para sermos participantes da sua santidade.” Hebreus 12:8
Por fim, o crescimento para cima deve materializar-se em ações concretas neste mundo. A contemplação, embora tenha o seu lugar na adoração, precisa resultar em transformação da realidade em todas as suas dimensões e implicações.
“E eis que estavam falando com ele dois varões, que eram Moisés (Lei) e Elias (Profetas), E, quando estes se apartavam dele, disse Pedro a Jesus: Mestre, bom é estarmos nós aqui: façamos, pois, três cabanas, uma para ti, uma para Moisés, e uma para Elias, não sabendo o que dizia. Enquanto ele ainda falava, veio uma nuvem que os cobriu; e se atemorizaram ao entrarem na nuvem. E da nuvem saiu uma voz que dizia: Este é o meu Filho, o meu eleito; a ele ouvi. Ao soar esta voz, Jesus foi achado sozinho; e eles calaram-se, e por aqueles dias não contaram a ninguém nada do que tinham visto. Lucas 9:30-36 [Grifos nossos]
4 – A Igreja precisa crescer para fora:
No dia seguinte, quando desceram do monte, veio-lhe ao encontro uma grande multidão. E eis que um homem dentre a multidão clamou, dizendo: Mestre, peço-te que olhes para meu filho, porque é o único que tenho; pois um espírito se apodera dele, fazendo-o gritar subitamente, convulsiona-o até escumar e, mesmo depois de o ter quebrantado, dificilmente o larga. E roguei aos teus discípulos que o expulsassem, mas não puderam. Respondeu Jesus: Ó geração incrédula e perversa! até quando estarei convosco e vos sofrerei? Traze-me cá o teu filho. Ainda quando ele vinha chegando, o demônio o derribou e o convulsionou; mas Jesus repreendeu o espírito imundo, curou o menino e o entregou a seu pai. E todos se maravilhavam da majestade de Deus. E admirando-se todos de tudo o que Jesus fazia, disse ele a seus discípulos: Ponde vós estas palavras em vossos ouvidos; pois o Filho do homem está para ser entregue nas mãos dos homens.” Lucas 9:37-44 [Grifos nossos]
Conclusão:
E você? O que tem feito? Tem crescido para dentro, em paz? Para baixo, em Cristo? Para cima, no temor de Deus? E para fora, no testemunho de vida transformada e transformadora?